Quem sou eu

Minha foto

Nascido em 15/06/1964, sou um dinossauro me aventurando em um mundo essencialmente de jovens.
No entanto, sou um homem moderno, light, portanto insosso e incapaz de sintetizar essa enorme massa de informação a que tenho acesso. 

Viajante do Google Street View.

Já perdi o que nunca tive.
Tenho saudades de um tempo em que nunca vivi.
Tenho saudades de lugares onde nunca estive.

Estou praticamente certo de que eu não sou daqui, ou estou deslocado no tempo ou no espaço, ou em ambos os dois.

Melhores Jovem Pan

Separador

sábado, março 02, 2019

MARTE: POR DENTRO DA SPACEX.

In Elon Musk we trust.

É por esse tipo de coisa que eu gostaria de ser eterno.
Quando li sobre a chegada dos europeus nas Américas eu tentei me imaginar sendo uma das pessoas aportando em um "novo mundo", imaginando a emoção daquilo tudo.
Agora, imagine a emoção de chegar em outro planeta?
Um "novo" mundo de fato.

Pessoas costumam falar contra esse tipo de programando argumentando sobre que tem gente morrendo de fome aqui neste planeta e pessoas e governos gastando fortunas para chegar a outro planeta - desabitado.
Eu gosto de pensar que um programa deste é desenvolvido por pessoas que enxergam além do que nós enxergamos, mesmo que seja apenas um centímetro, e estas veem coisas que nós não vemos.
E por "ver" eu quero dizer "saber".




segunda-feira, julho 09, 2018

Juramento do dedinho.

“Juntar o meu mindinho com o seu mindinho. 
Então fechou, o trato tá feito.”
Cara, isso é horrível, chega a ser pior que “Isaltina, Olha o tamanho da lombriga”.
Pelo menos “Isaltina” não é vendida como música séria.

Não sou fã de sertanejo, mas acho que este gênero musical já foi melhor.
O funk é para mim um lixo musical, mas mesmo assim eu te digo que eu respeito mais o funk que muitas das atuais músicas sertaneja.

E por que isso?

Porque o funk diz a que veio, não usa subterfúgio, não se camufla sob o selo de "decente".
O funk diz em alto e bom som: "aqui é putaria, mermão, indecênça mermo, tá ligado?".
Já a sertanoja veste um selo de música decente e me vem com coisas como: "Cê faz gostoso e ainda põe leite condensado".
Se você me dissesse: "Ain, mais isso é maldade da tua cabeça." 
Eu te diria: E é por isso que respeito o funk apesar de não suporta-lo.
Esse tipo de música sertaneja atira a pedra e esconde a mão, só que esconde a mão errada, a mão que atirou a pedra está a vista, e suja.

Quando pesquisei essa letra do "Cê faz..." eu descobri que o funk se juntou ao sertanejo e criou o funknejo; que merda.
Talvez o sertanejo estivesse perdendo terreno e então se prostituiu se juntando ao funk.
Como já dizia o Major Edward Alvar Murphy Jr.: "Nada é tão ruim que não possa piorar"

Eu acho que o funk é um desserviço para a cultura brasileira, mas falar isso é dar o lombo às bordoadas, pois logo vem alguém e diz: 
-Funk é cultura, viva! a diversidade musical.
Diversidade essa que não dá mais para saber pela letra o que é samba, pagode, sertanejo, forró ("'moderno'") e agora o funknejo, são variações do mesmo tema, só muda a nomenclatura, o "conteúdo" é o mesmo.

A mulher tida como cabeça pensante da atualidade e redentora das mulheres é uma funkeira que diz que o poder feminino é a genitália e não o cérebro.
Ai me vem um cidadão e me diz: Criança de pé no... 
Não! não é isso, isso se trata de uma bela música.
Ai me vem um cidadão e se diz assombrado com a atitude de alguns torcedores lá na Russia, que fizeram moças russas dizerem o que disseram, alvoroça logo a gritar "cultura machista".
Mermão?! isso é funk, bicho, e funk é cultura, véio.
Mas em seguida esse cidadão aplaude os torcedores entoando uma canção que é uma versão do belíssimo exemplar do cancioneiro brasileiro intitulado "Só quer vrau".
Não, não me venha dizer que "Messi, tchau" é uma paródia de "Bella Ciao", esses caras não fazem nem ideia dela. 
Os europeus já nos tiveram na conta de exportadores de prostitutas, agora somos exportadores de cultura.

E não, eu não estou dizendo que tudo isso não é cultura, estou dizendo que é uma cultura que se eu pudesse eu a dispensaria.

sexta-feira, junho 08, 2018

Viola caipira.

Quem foi que disse que eu não gosto de moda de viola?
É inegável que o som de uma Viola é bonito, agradável.

Eis a prova de que eu gosto sim.

Wilson Teixeira interpreta o tema de Games Of Thrones.

Mais dois vídeo do Wilson Teixeira (existem outros tantos).
Luzeiro (Almir Sater)
So Far Away (Daire Straits)


Viu como eu não sou "sertanejofóbico"?

segunda-feira, abril 09, 2018

I don't want to dance.

I don't want dance
Dance with you baby no more
[...]

I don't want to dance
But
I dance
You dance
He dance
She dance
You dance
They dance
We dance baby every time.

E há cidadão que tem a convicção de que é ele quem está segurando a batuta enquanto os políticos tocam.

Don't wanna dance
Don't wanna dance

segunda-feira, janeiro 22, 2018

Uma falha neural explica algumas supostas faculdades psíquicas.


...

"Es decir, que primero percibimos la información del cerebro (ha sonado el timbre) y después el sonido físico del timbre, debido a un error en el tiempo que necesitan las neuronas para comunicarse la información".



Entonces.
Eu tenho que tomar remédio para pressão arterial, isso significa que todos os dias o despertador soa, durante a semana para eu trabalhar (05h40), e no final de semana apenas para eu tomar o remédio (06h00).
Lá pelo ido de 2014, eu estava certo de que o meu cérebro já estava habituado a esse horário, e que era por isso que não raro eu acordava "antes do alarme soar".
Até que um dia o celular ficou sem carga a noite e eu acordei lá pelas 07h00. Durante o banho eu desconfiei de que o meu cérebro não estava habituado coisa nenhuma, o que acontecia era que eu ouvia os primeiros "bips" ainda dormindo.
Durante as férias eu desliguei o despertador (pressão arterial em risco), e o resultado foi que não consegui acordar no horário; mas me pairou a dúvida: "será que não é por não haver o rigor de horário?".
Quando eu retornei ao trabalho, depois da segunda quinzena, eu resolvi testar uma semana sem despertador, o que resultou em uma semana chegando atrasado no trabalho.

Há sempre uma explicação natural, podemos ainda não tê-la descoberto.

domingo, dezembro 31, 2017

O porém do entretanto.

No começo de cada ano ouvimos uns blá-blá-blás que até dá gosto de ouvir.
Cuide para que não sejam
Palavras apenas
Palavras pequenas
Palavras...

Palavras Ao Vento.
Cássia Eller.

Até porque
Palavras não são más
Palavras não são quentes
Palavras são iguais
Sendo diferentes
Palavras não são frias
Palavras não são boas...

Palavras
Titãs

Tente transformar o blá-blá-blá em ação, pois é esta que realmente conta, é a ação que vai te tirar de onde está.
É muito bonito dizer "querer é poder", bonito bagaray, pode se dizer.
Querer atravessar a rua é o "querer" mas chegar do outro lado depende de uma "ação", que por sua vez depende de um "poder".
Porém, se você tiver o poder de cruzar a rua mas não se mover (agir) em direção ao outro lado, você continuara onde está.

MARTE: POR DENTRO DA SPACEX.

In Elon Musk we trust. É por esse tipo de coisa que eu gostaria de ser eterno. Quando li sobre a chegada dos europeus nas Américas eu ten...