Melhores Jovem Pan

Separador

quinta-feira, março 11, 2021

Casamento duradouro.

Que me desculpem os crédulos, mas não existe vida após o casamento.


http://dougeanny.blogspot.com/2011/12/o-segredo-do-casamento-duradouro.html
Imagem contida no seguinte post: 
http://dougeanny.blogspot.com/2011/12/o-segredo-do-casamento-duradouro.html

A meu ver (perceba que eu disse "a meu ver"), todo casamento duradouro sobrevive a custa do sacrifício de um dos dois ou até mesmo dos dois cônjuges, o que significa que, o que mantem um casamento de longa duração é a razão e não a emoção.



Feminino.

feminino (fe.mi.ni.no)
Do latim femininus
Antônimo - masculino

Adjetivo
1 - Relativo a mulheres ou próprio delas
2 - (Biologia) relacionado ou característico do organismo que produz óvulos
3 - (Botânica) que possui somente pistilo (flor)
4 - (Gramática) uma das flexões de gênero gramatical, presente em diversas línguas naturais (especialmente as indo-europeias).

E é do adjetivo 4 que eu quero falar.
Ouço pessoas falando de forma que eu considero errada o feminino de alemão, cobrador, dentre outros.
Mas algo que me incomodava era o feminino de ladrão.
Meus ouvidos estão acostumados a ouvirem "ladra" como sendo o feminino de ladrão, por isso, quando ouço "ladrona" isso me soa estranho.
Então, decidi averiguar qual é o feminino de ladrão, e não é que ladrona está certo?
Listo abaixo alguns femininos que geralmente geram dúvidas:

Masculino Feminino
Singular Plural Singular Plural
Alemão Alemães Alemã Alemãs
Cobra-macho Cobras-machos Cobra-fêmea Cobras-fêmeas
Cobrador Cobradores Cobradora Cobradoras
Estudante Estudantes A estudante As estudantes
Jacaré Jacarés Jacaré-fêmea Jacarés-fêmeas
Ladrão Ladrões Ladrona/Ladroa Ladronas/Ladroas
Motorista Motoristas A motorista As motoristas
Patrono Patronos Patrona/Patronesse Patronas/Patronesses
Presidente Presidentes A presidente/Presidenta As presidentes/Presidentas

Patrono é um caso especial, caso se refira ao segundo homenageado de uma cerimônia de colação de grau (o primeiro é o Paraninfo), o feminino é PATRONESSE, nas suas demais acepções o feminino é PATRONA.

Mas voltando à questão levantada pelo amigo Jota Paschoal, por que dizemos "jacaré-fêmea" e "cobra-macho"? Como se sabe, os nomes de alguns animais são substantivos epicenos ou comuns de dois gêneros (embora algumas pessoas erradamente façam o feminino de "jacaré" como "jacaroa"), o que torna necessário lançar mão de um expediente morfológico para distinguir os gêneros. Esse expediente consiste em formar uma palavra composta com os substantivos "macho" e "fêmea". E aí está a explicação de por que não se diz "jacaré fêmeo" ou "cobra macha": é que "macho" e "fêmea" neste caso são substantivos e não adjetivos. É por isso também que tais palavras se escrevem com hífen.

Ou seja, "jacaré-fêmea" é a fêmea do jacaré; "cobra-macho" é o macho da cobra (há controvérsia), e assim por diante. Entretanto, não está errado dizer "este jacaré é fêmeo" ou "esta cobra é macha". Só que, dado o conflito entre gênero e sexo acima mencionado, prefere-se dizer "este jacaré é (uma) fêmea" e "esta cobra é (um) macho". Em outras palavras, prefere-se empregar o substantivo no lugar do adjetivo. Isso se aplica até a "mulher-macho", como na canção eternizada por Luiz Gonzaga.  

sábado, março 02, 2019

MARTE: POR DENTRO DA SPACEX.

In Elon Musk we trust.

É por esse tipo de coisa que eu gostaria de ser eterno.
Quando li sobre a chegada dos europeus nas Américas eu tentei me imaginar sendo uma das pessoas aportando em um "novo mundo", imaginando a emoção daquilo tudo.
Agora, imagine a emoção de chegar em outro planeta?
Um "novo" mundo de fato.

Pessoas costumam falar contra esse tipo de programando argumentando sobre que tem gente morrendo de fome aqui neste planeta e pessoas e governos gastando fortunas para chegar a outro planeta - desabitado.
Eu gosto de pensar que um programa deste é desenvolvido por pessoas que enxergam além do que nós enxergamos, mesmo que seja apenas um centímetro, e estas veem coisas que nós não vemos.
E por "ver" eu quero dizer "saber".




segunda-feira, julho 09, 2018

Juramento do dedinho.

“Juntar o meu mindinho com o seu mindinho. 
Então fechou, o trato tá feito.”
Cara, isso é horrível, chega a ser pior que “Isaltina, Olha o tamanho da lombriga”.
Pelo menos “Isaltina” não é vendida como música séria.

Não sou fã de sertanejo, mas acho que este gênero musical já foi melhor.
O funk é para mim um lixo musical, mas mesmo assim eu te digo que eu respeito mais o funk que muitas das atuais músicas sertaneja.

E por que isso?

Porque o funk diz a que veio, não usa subterfúgio, não se camufla sob o selo de "decente".
O funk diz em alto e bom som: "aqui é putaria, mermão, indecênça mermo, tá ligado?".
Já a sertanoja veste um selo de música decente e me vem com coisas como: "Cê faz gostoso e ainda põe leite condensado".
Se você me dissesse: "Ain, mais isso é maldade da tua cabeça." 
Eu te diria: E é por isso que respeito o funk apesar de não suporta-lo.
Esse tipo de música sertaneja atira a pedra e esconde a mão, só que esconde a mão errada, a mão que atirou a pedra está a vista, e suja.

Quando pesquisei essa letra do "Cê faz..." eu descobri que o funk se juntou ao sertanejo e criou o funknejo; que merda.
Talvez o sertanejo estivesse perdendo terreno e então se prostituiu se juntando ao funk.
Como já dizia o Major Edward Alvar Murphy Jr.: "Nada é tão ruim que não possa piorar"

Eu acho que o funk é um desserviço para a cultura brasileira, mas falar isso é dar o lombo às bordoadas, pois logo vem alguém e diz: 
-Funk é cultura, viva! a diversidade musical.
Diversidade essa que não dá mais para saber pela letra o que é samba, pagode, sertanejo, forró ("'moderno'") e agora o funknejo, são variações do mesmo tema, só muda a nomenclatura, o "conteúdo" é o mesmo.

A mulher tida como cabeça pensante da atualidade e redentora das mulheres é uma funkeira que diz que o poder feminino é a genitália e não o cérebro.
Ai me vem um cidadão e me diz: Criança de pé no... 
Não! não é isso, isso se trata de uma bela música.
Ai me vem um cidadão e se diz assombrado com a atitude de alguns torcedores lá na Russia, que fizeram moças russas dizerem o que disseram, alvoroça logo a gritar "cultura machista".
Mermão?! isso é funk, bicho, e funk é cultura, véio.
Mas em seguida esse cidadão aplaude os torcedores entoando uma canção que é uma versão do belíssimo exemplar do cancioneiro brasileiro intitulado "Só quer vrau".
Não, não me venha dizer que "Messi, tchau" é uma paródia de "Bella Ciao", esses caras não fazem nem ideia dela. 
Os europeus já nos tiveram na conta de exportadores de prostitutas, agora somos exportadores de cultura.

E não, eu não estou dizendo que tudo isso não é cultura, estou dizendo que é uma cultura que se eu pudesse eu a dispensaria.

sexta-feira, junho 08, 2018

Viola caipira.

Quem foi que disse que eu não gosto de moda de viola?
É inegável que o som de uma Viola é bonito, agradável.

Eis a prova de que eu gosto sim.

Wilson Teixeira interpreta o tema de Games Of Thrones.

Mais dois vídeo do Wilson Teixeira (existem outros tantos).
Luzeiro (Almir Sater)
So Far Away (Daire Straits)


Viu como eu não sou "sertanejofóbico"?

segunda-feira, abril 09, 2018

I don't want to dance.

I don't want dance
Dance with you baby no more
[...]

I don't want to dance
But
I dance
You dance
He dance
She dance
You dance
They dance
We dance baby every time.

E há cidadão que tem a convicção de que é ele quem está segurando a batuta enquanto os políticos tocam.

Don't wanna dance
Don't wanna dance

segunda-feira, janeiro 22, 2018

Uma falha neural explica algumas supostas faculdades psíquicas.


...

"Es decir, que primero percibimos la información del cerebro (ha sonado el timbre) y después el sonido físico del timbre, debido a un error en el tiempo que necesitan las neuronas para comunicarse la información".



Entonces.
Eu tenho que tomar remédio para pressão arterial, isso significa que todos os dias o despertador soa, durante a semana para eu trabalhar (05h40), e no final de semana apenas para eu tomar o remédio (06h00).
Lá pelo ido de 2014, eu estava certo de que o meu cérebro já estava habituado a esse horário, e que era por isso que não raro eu acordava "antes do alarme soar".
Até que um dia o celular ficou sem carga a noite e eu acordei lá pelas 07h00. Durante o banho eu desconfiei de que o meu cérebro não estava habituado coisa nenhuma, o que acontecia era que eu ouvia os primeiros "bips" ainda dormindo.
Durante as férias eu desliguei o despertador (pressão arterial em risco), e o resultado foi que não consegui acordar no horário; mas me pairou a dúvida: "será que não é por não haver o rigor de horário?".
Quando eu retornei ao trabalho, depois da segunda quinzena, eu resolvi testar uma semana sem despertador, o que resultou em uma semana chegando atrasado no trabalho.

Há sempre uma explicação natural, podemos ainda não tê-la descoberto.

Casamento duradouro.

Que me desculpem os crédulos, mas não existe vida após o casamento. Imagem contida no seguinte post:  http://dougeanny.blogspot.com/...